7.9.11

Gente sensível é assim mesmo...


Penso em tudo e não penso em nada! Sou uma eterna antítese, será?
Talvez realmente eu tenha um gênio difícil, ou talvez não, sou até fácil de lidar. Basta acompanhar meu passo, não precisa nem entender, basta me sentir! Acho que eu sou uma típica viajante à procura do que ainda não sabe o que é! Ou, talvez, só uma viajante à procura de nada! Sei é que viajo no tempo e, principalmente, nas pessoas. Às vezes é bom, ou não!
Sou sincera nas palavras e, mais ainda, nos sentimentos. Se firo, não é com intenção. As  mágoas que não cabem mais no peito escorrem pela boca em palavras que, inevitavelmente, soam como um descarrego, ou como uma faca que agride de uma forma que não planejei!
Na verdade eu sou tão doce, é... tão delicada! E essa brutalidade aqui é só enfeite, é só uma forma de me proteger, talvez, ou uma confusão de tudo em mim. Será? Eu não penso muito, ao mesmo tempo em que penso demais.
Já vi que quem tem alma sensível vive com um redemoinho por dentro!
Temos olfato, paladar, audição, visão e tato aguçadíssimos! E o sexto sentido, então? Esse, nunca falha!
A gente sabe que vê o que o resto do mundo não vê, e sente o que a maioria não ousa sentir!
Talvez por isso vivamos em constante confusão e, ao mesmo tempo, em constante equilíbrio! Sempre leves, soltos e sensíveis.
A gente só sente e escreve!

/Simone Oliveira*

2 comentários:

Luzia Trindade disse...

Simone, adorei o texto. Como se estivesse escrito para mim, bem como exatamente eu sou.

Um beijo!

Simone Oliveira' disse...

É nosso mal ou talvez o nosso bem!
Mas é bom ser sensível e ver o mundo com olhos diferentes, né Lu?!
;]